A arte do jogo nas mexidas de Jatene e Jader

Publicado por Reinaldo Araújo em 02/07/2018 às 14h55

Com a proximidade de agosto e o registro das candidaturas, as peças e cartas começam a ser mexidas

JJ1

Muitos jogadores do poker tem mais prazer em ganhar blefando do que tendo as melhores cartas. Essa é uma das armas mais importantes do jogo.

Assim, blefar é uma parte sólida do jogo e em sua forma mais simples o blefe é uma aposta ou raise com cartas que não são as melhores. Isso realmente é interessante pois seu oponente tem a difícil missão de descobrir se você tem mesmo uma grande mão, ou não.

No poker como na política, muitas vezes o blefe funciona como uma aposta da mão certa ou um movimento político que poderá quebrar a mesa.

Recentemente duas ações políticas são merecedoras de “fechar o cassino”. Uma foi do governador Simão Jatene que “pagou pra ver” a sua opção por apoiar uma candidatura à sua sucessão que não fosse do seu próprio partido (PSDB), o que causou um mal-estar e motim do grupo político do prefeito de Ananindeua, Manoel Pioneiro, contra a sua decisão.

O blefe de Jader

O outro movimento partiu da maior liderança política do MDB no Pará, o senador Jader Barbalho, que anunciou publicamente que não iria mais disputar uma vaga para o senado, iria sim, para garantir o foro privilegiado, ser candidato a deputado federal.

No início de julho, em entrevista exclusiva ao jornalista Val-André Mutran, do Blog do Zé Dudu, o senador Jader Barbalho (MDB) confirmou que será candidato à reeleição ao Senado Federal e não mais deputado federal como anunciou no início do ano.

Na entrevista, o senador Jader Barbalho afirma que “Após análise de pesquisas quantitativas e qualitativas, constatei que a generosidade do povo paraense em relação ao meu nome torna a minha candidatura ao Senado uma realidade”.

Nessa mexida tira de rumo Anivaldo Vale e Zequinha Marinho, que chegaram a sonhar com a vaga no Senado Federal, mesmo afirmando que a sua decisão não atrapalha os acordos já firmados no Estado.

Da mesma forma que Jatene, que ao bancar a candidatura do democrata Márcio Miranda, tira de rota também as ditas lideranças do PSDB no Pará, e se elegê-lo garantirá a estrutura de Poder que mantém vivo o ninho dos tucanos no Pará, o governo do Estado.

QUER ENGANAR A TODOS...

JJ2

Lembro-me quando no ano passado Jatene declarou apoio à candidatura de Márcio Miranda, em Santarém, o tucanato, principalmente Manoel Pioneiro, gritaram e fizeram muita confusão.

Enquanto Zenaldo e outras "eminências pardas" do PSDB eram colocados em seus devidos lugares, Pioneiro e seu grupo de Ananindeua continuavam amotinados.

Agora, vendo que é irreversível a candidatura de Miranda, posam de bons moços, afirmando que eram Márcio Miranda “desde pequenininhos”. Além de se fazerem de santos, ainda culpam os blogueiros e jornalistas de “desserviços” com a verdade. E isso é muito cômodo para quem está na reta.

Ainda há tempo para Pioneiro e Cia cumprir com as ameaças e pular para os braços de Hélder, assim como pegou corda o Zequinha Marinho e se lascou.

Mano, não dá pra enganar todo mundo o tempo todo.

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||