Denúncias comprovam crise no HUJBB

Publicado em 16/06/2019 às 14h28

Segundo reportagem do Jornal Liberal (JL 2ª Edição), de 14/06/2019, e o site Fala das Polis, de Diógenes Brandão, as “denuncias de riscos de vida que passam pacientes no Hospital Universitário Barros Barreto (HUJBB) devido à falta de estrutura e de remédios” são sérias. Segundo a reportagem do JL 2º Edição, o cenário é de caos, a “ala pediátrica está abandonada há três anos e já se transformou em depósito”

HUJBB

Hospital que já foi referência em doenças da pobreza segue o caos em silêncio.

Conversamos com alguns funcionários por telefone do HUJBB que nos informaram que “desde 2013, quando o Ministério Público Federal (MPF) solicitou ao governo Dilma para que encontrasse uma saída acerca dos servidores de Hospitais Universitários que eram terceirizados pelas fundações universitárias é que a saída encontrada pelo governo foi criar uma empresa pública”, lembra nossa fonte.

“Nesse sentido foi criada a EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares). Essa empresa não é uma Organização Social (OS) ela é uma empresa pública, como o Banco do Brasil, que tem o papel de contratar e gerir os recursos humanos do HU’s”, diz.

O HUJBB aderiu ao EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) em 18 de dezembro de 2013 e o atual diretor-superintendente, Paulo Amorim, tem toda área financeira sob seu controle “e tenta manter o seu pessoal contratado na gestão, daí tenta tirar o foco das denúncias que já estão bem transparentes depois de feitas na TV Liberal”, comemora a funcionária que não quis se identificar.

Segundo funcionários, “diretor do HUJBB usa de má fé”

“A questão é política, pois todo o pessoal que de fato geriu o hospital neste período de crise está sendo rifado e sendo colocadas pessoas de confiança do diretor, sem nenhum critério. Ele numa tacada só pediu a demissão de cinco técnicos. Ele usa de má fé”, denuncia a servidora.

Atualmente o HUJBB tem um orçamento anual de 30 milhões de reais, mais de 80% desses valores estão sendo gastos com pagamento de pessoal. Estão na folha do HU funcionários concursados pela EBSERH, funcionários contratados pela Fundação de Amparo e Desenvolvimento à Pesquisa (FADESP), funcionários da UFPA, e com tanta gente, ainda pega serviços prestados. Outros recursos federais que são repassados não sobram quase nada para aquisição de equipamentos, remédios, reformas, limpeza e vigilância.

Com distratação de funcionários em excesso as coisas vão melhorar

Infelizmente, quem paga a conta é a sociedade que precisa dos serviços do Barros Barreto, serviços de leitos, tratamentos, consultas, medicamentos, esses de referências para doenças infecciosas, e outras mais graves.

Está aí o segredo da Crise do HUJBB, embora todos os recursos sejam para pagar funcionários, ainda administra mal os poucos recurso que sobram.

"Como só agora o governo determinou a EBSERH nacional para distratar os funcionários terceirizados em excesso do HUJBB, o recursos vão migrar para a assistência,  aí as coisas vão melhorar aos poucos", acredita a nossa fonte.

É necessário também que a direção do HUJBB deve levar em consideração que o Barros Barreto já tem mais de 60 anos e é necessária uma ampla reforma de todas as suas alas, e para que esses recursos possam vir, se deve esperar por uma direção dinâmica e participativa.

Veja a matéria completa do Jornal Liberal 2ª Edição

http://g1.globo.com/pa/para/jornal-liberal-2edicao/videos/t/edicoes/v/hospital-barros-barreto-enfrenta-problemas-como-falta-de-estrutura-e-de-remedios/7688569/

Leia a matéria completa no Fala das Pólis

https://diogenesbrandao.blogspot.com/2019/06/escandalo-barros-barreto-fantasmas.html

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||