Dia 05 de agosto, o dia “D” para Tailândia

Publicado por Reinaldo Araujo em 26/07/2016 às 17h24

Os partidos políticos de Tailândia esperam o apagar das luzes das convenções municipais para escolher seus candidatos

ALA 1

No dia 25 de agosto, em discurso na Convenção do Partido Democrata, nos Estados Unidos da América (EUA), Michelle Obama, a primeira-dama estados-unidense, protagonizou um dos momentos mais emocionantes e histórico de uma convenção norte-americana, quando afirmou: “Eu desperto todas as manhãs em um prédio que foi construído por escravos. E vejo minhas filhas, duas belas e inteligentes meninas negras, brincando com seus cachorros no jardim da Casa Branca”.

Com essa afirmação, Michelle diz nas entrelinhas de seu discurso que o povo não pode perder a esperança. Assim, como na afirmativa da primeira-dama podemos afirmar que aqui em Tailândia o povo também não pode achar que não há mais saída, pois foi aqui que os trabalhadores enriqueceram muitos donos de propriedades e empresários, em detrimento à sua própria pobreza e de suas famílias, além de que a cidade poderia ter uma história diferente, mas hoje vive presa a um passado econômico superado.

ALA 2

 

No dia 05 de agosto de 2016, será o prazo final para as convenções para escolha dos candidatos a prefeitos e vereadores e, nesse dia, será a festa dos partidos políticos. Todos realizarão as suas reuniões em clima de alegria e de forma apoteóticas no mesmo dia.

O PMDB, de  Melqui, o PP, do Luisinho, o PDT, de Charrin, deverão marchar ao lado do pré-candidato Macarrão (DEM), que já foi prefeito duas vezes e deputado estadual, e até agora é o líder das pesquisas.

ALA 3

Do lado da situação, o prefeito Ney da Saúde, candidato a reeleição, pelo PSC, já conta, além da máquina da prefeitura e do apoio do vice-governador, Zequinha Marinho, o apoio do PRB, partido da vereadora Nete, e pelo PROS, partido do atual Secretário de Administração, Rossy.

O Partido Solidariedade, de Gil Varela, busca apoio popular, caminho que deverá seguiu para não se “misturar” com a política de “cartas marcadas” pelos grupos dominantes. “Quem vencer deles deverá manter a política de pressão sobre os pobres, e isso não aceitamos”, afirma um militante do partido.

ALA 4

O PT, segue com o seu candidato Waldir Hoss, numa jornada da estrela solitária, abatida depois dos escândalos da Lava Jato em Brasília, que custou o pedido de impedimento da presidenta Dilma, por crime de responsabilidade que não praticou, forjado por um golpe de seus adversários. Mas, nesse caso o candidato do PT de Tailândia não está envolvido no processo. Waldir é uma liderança do movimento sindical deste o tempo do seu Pedro do Sindicato e não tem nada a ver com os problemas do PT Nacional.

ALA 5

Do outro lado, vem o candidato apoiado pelo ex-prefeito Gilbetinho, o dr. Dimas, do PSDC, que deve ter como aliado o PSD, de Rinaldo Soligo, e corre, numa ação desesperada para atrair o PSB e o PMN, após tentar trazer o Alemão, candidato a prefeito pelo PR, que decidiu disputar o processo com apoio de partidos como o PPS e PEN.ALA 10

ALA 6

ALA 7

As tentativas do candidato de Gilbertinho, dr. Dimas de ter uma coligação forte para disputar o processo contra Macarrão está se esvaziando, pois a última cartada de uma união seria com o PSDB de Roberto Gambi, possibilidade essa descartada pelo padrinho político do médico, que não aceita uma aliança com seu ex-fiel escudeiro e secretário de finanças.

ALA 8

O tempo está terminando para Dimas sem ter a confiança se conseguirá convencer o seu mentor que uma aliança com Roberto seria fundamental para ganhar a eleição, com o apoio aberto de Simão Jatene, governador do Estado.

ALA 9

Dessa forma, em 02 de outubro serão 46.524 eleitores que irão às urnas para escolher o novo prefeito da cidade e não podemos deixar nos enganar. O passado triste de abandono não pode mais voltar. O que está em jogo é o mal voltar a reinar no município, enganando e negociando o dinheiro da prefeitura nos corredores escuros da cidade

A população deve ver a situação da cidade, da segurança pública, da falta de respeito com os pobres e a ausência de um projeto social e econômico para o município. Votar com coerência e seriedade é o respeito a vida de mais 97 mil habitantes que está em jogo.

 

 

 

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||