Duas mulheres mortas em menos de 12 horas

Publicado por Reinaldo Araujo em 14/01/2016 às 10h04

Matar mulheres em Tailândia virou ato banal

TAILÂNDIA VIOLÊNCIA

Jovem morta a facadas na Vila Macarrão

         Sinceramente essa notícia não fazia parte das matérias que gostaria de informar para nossos leitores, mas infelizmente o assassinato de mulheres no Brasil e em Tailândia está ficando deveras banal para o meu gosto, isso incluído o nosso município, que caiu nas graças da crueldade contra as mulheres.

Na comparação com as demais unidades federativas, o Pará é o décimo Estado mais violento para as mulheres. Ainda de acordo com o levantamento, os municípios de Tucumã e Novo Progresso despontam como os mais perigosos para a população feminina no Pará.

Em Tailândia, o município se encontra em 25º do Brasil, com taxa de 14,6/100, na frente de São Geraldo do Araguaia, Ourilândia do Norte, Goianésia do Pará, São João de Pirabas e Rondon do Pará.

Comprovando esse triste ranking, no dia 13 de janeiro de 2016, duas mulheres em Tailândia foram assassinadas em menos de 12 horas. A primeira, conhecida como Leia, foi morta pelo seu companheiro, que depois cometeu suicídio, por volta 8 horas da manha, o motivo seria passional, ou “tudo aquilo motivado pelo sentimento excessivo da paixão”, é a versão. O segundo caso, seria por uma briga de vizinhas, na qual o marido de uma delas tirou a vida de uma jovem, que deixou uma criança de 4 meses de vida órfã, isso no final da tarde, por volta 17 horas.

Violência 2

Companheiro lhe tirou a vida depois se matou

Muitos poderiam dizer: “ah! É coisa de marido e mulher. É sempre assim!” Outros diriam: “Foi na Vila Macarrão, está explicado”. Nenhuma justificativa está correta. Todos os bairros de Tailândia, de uma forma ou de outra, são violentos, e isso é culpa da Segurança Pública e da Justiça, porém, a violência contra as mulheres está em todas as classes sociais, e atingem mais as negras porque são a maioria da população brasileira, simplesmente. Mas nada justifica a banalidade. E se isso vira costume?

As duas situações, independente da realidade vivida por ambos, poderiam ter sido relevadas, poderia ter havido alguma forma que essa brutalidade não tivesse acontecido. Foram dois casos motivados por banalidades, que tiraram a vida de três pessoas, a liberdade de uma e um triste caminho para seguir de uma criança pequena. Um absurdo!

Por fim, queremos enfatizar, como se pode ver no município de Tailândia, nordeste do Estado, encontra-se no ranking do País como o 25º município onde mais acontecem mortes de mulheres por violência doméstica, ou seja, 14,6, por cada 100 mulheres. Se não fosse tão sombrio e desesperador, seria vergonhoso para a nossa cidade. E, esses dados poderiam ser piores se tivéssemos registros de uma Delegacia da Mulher, o que não temos.

Ainda que o Brasil possua duas leis importantes para coibir o a criminalidade contra a mulher, a Lei 11.340/2006, a Maria da Penha, e a Lei 13.104/2015, do Feminicídio, parece que muitas lágrimas ainda escorrerão dos rostos de muitas mulheres e suas famílias.

LEIA E VEJA TAMBÉM:

Homem tira a vida da ex-companheira e depois tira a própria - BMTV 11

CLICK: https://www.facebook.com/bmtv.tailandia/videos/525762417588232/?theater

Mulher é esfaqueada na Vila Macarrão - BMTV 11

CLICK: https://www.facebook.com/bmtv.tailandia/videos/525864890911318/?theater

MAPA DA VIOLÊNCIA 2015 - HOMICÍDIO CONTRA MULHERES

CLICK: http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2015/MapaViolencia_2015_mulheres.pdf 

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||