Há urgência em Diagnósticos por Imagem em Tailândia

Publicado por Reinaldo Araujo em 02/07/2017 às 11h50

Macarrão: “A vida não tem preço, precisamos melhorar ainda mais a saúde”

H1

Um dos grandes problemas na área de saúde nos municípios paraenses é a adoção de exames de imagem computadorizada para se obter o próximo possível do diagnóstico de pacientes em situações neurológicas ou traumas, o que com certeza salvaria vidas e a melhor forma de deslocamento desses pacientes a hospitais mais especializados.

Tailândia, assim como outros municípios, ainda não possui essa tecnologia (Diagnósticos por Imagem), sucumbe,  como a maioria dos municípios de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e com certeza a falta de neurologistas.

Mas qual a importância de Diagnósticos por Imagem?

H2

Pois bem, a Tomografia (TC) consiste, basicamente, em um raio-X ultrassensível de uma determinada parte do corpo. Assim que os feixes atravessam o órgão, formam uma imagem, que é recebida e reconstituída no computador.

Quanto maior o número de lâminas, melhor a resolução da imagem. Sendo assim, a TC é ótima para detectar tumores, fraturas, hemorragias, avaliar o sistema nervoso central, alterações nos ossos ou pulmões, entre outros.

Já a Ressonância Magnética (RM) utiliza um equipamento, um tubo comprido e largo, aberto nos dois extremos, que fornece imagens em três planos (3D), criando um campo magnético que envia ondas de rádio ao corpo e mede a liberação de energia das células. É como uma fotografia tridimensional do corpo visto por dentro. Por isso, a ressonância é ideal para investigar algumas lesões. Iniciado o exame, o paciente deve se deitar e ficar imóvel.

Mais um caso fatal de suposta negligência

H3

No último sábado, dia 24 de junho, a população de Tailândia soube da notícia do falecimento da Senhora Maria de Nazaré Cruz da Silva, por complicações no estado de saúde que veio a se agravar para um Acidente Vascular Cerebral (AVC), morrendo dentro do Hospital Geral de Tailândia (HGT), instituição de saúde administrada por uma empresa terceirizada pelo Governo do Estado.

O que ocorreu é que a paciente evoluiu mal, muito mal, e em curto espaço ela encontrava-se segundo o médico que relatou nestes termos: "O quadro evoluiu com piora clínica e rebaixamento do nível de consciência. Foi entubada e mantida sob sedação e ventilação mecânica".

Mesmo com o apelo do Prefeito de Tailândia, Paulo Jarper Macarrão, na tentativa de transportar na UTI Aérea Municipal a mesma para outro hospital em Belém ou em Tucuruí, estabilizando a situação da paciente, podendo salvar a sua vida, impedindo o sofrimento de sua família, mas equipe médica do HGT se recusou a transferir a paciente.

Segundo o Dr. Allan Rendeiro, assessor de saúde da PMT, “a referida senhora, que foi a óbito, chegou com nível de consciência que permitia dialogar e formular as queixas, as quais foram devidamente anotadas no prontuário médico”, afirma o assessor da prefeitura.

“Segundo o Boletim Médico enviado, observamos o seguinte relato: ‘a paciente Maria de Nazaré Cruz da Silva, 49 anos, foi admitida em nosso hospital com quadro de emergência hipertensiva grave no dia 24/06/2017’. Como sabemos o HGT não possui uma Unidade de Tratamento Intensivo, ou seja, uma UTI, apenas uma Unidade de Cuidados Intermediários conhecido com UCI, e é sabido que não dispõe de plantonista de Neurologia”, afirma.

O Dr. Allan ainda completa, “a paciente, além de ter sido internada com as referidas queixas e consciente, o médico do HGT relata que: ‘Diante do quadro, optamos por mantê-la em vigilância neurológica em nossa UCI’. O que dá ensejo ao seguinte pensamento, a paciente estará com um médico, provavelmente um neurologista e sendo avaliada na plenitude de seus sinais vitais, monitorizada cardiologicamente falando e com seus níveis de oxigenação sanguínea sendo verificados constantemente e ao menor sinal de risco de evolução para um quadro neurológico grave a mesma será tratada ou imediatamente encaminhada a um centro de maiores recursos que possa garantir seu atendimento e a sua sobrevida”, explica o assessor do prefeito Macarrão.

Apesar de que em entrevista aos meios de comunicação, o diretor do HGT, sr. José Neto, dizer que “os médicos do hospital são excelentes e profissionalmente qualificados”, houve sem dúvida a falta de um diagnóstico mais preciso com relação a situação da paciente e a sua transferência imediata para um hospital.

De qualquer forma, a conclusão é que Tailândia precisa imediatamente de um Hospital que atenda Alta Complexidade, pois não é justo uma perda por causa de falta de um Tomógrafo ou uma Ressonância Magnética.

Prefeito Macarrão exige providências

H4

Diante disso, o prefeito Macarrão já acionou a assessoria jurídica da Prefeitura para verificar a questão de negligência sobre esse caso e reunirá com a Secretária de Estado Adjunta de Saúde, Drª Heloisa Guimarães, para tomar as devidas medidas junto ao Governo do Estado.

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||