Hígia Frota diz que houve “golpe contra a vontade popular”

Publicado por Reinaldo Araujo em 01/01/2017 às 17h49

Vereadores se retiram em forma de protesto na posse da nova legislatura.

HIGIA

Dia 1º de Janeiro não foi um dia qualquer em  Tailândia, município do nordeste do Pará. Esse dia, também conhecido como Dia da Confraternização e da Paz, foi também a posse dos vereadores e do presidente da Câmara Muncipal de Tailândia (CMT). A novidade é que o presidente da CMT  também seria empossado prefeito municipal, devido ao recurso do prefeito eleito por voto popular Macarrão ainda estar em julgamento em Brasília.

O inesperado do evento foi, logo após a posse dos vereadores, a vereadora Hígia Frota (DEM) e seu companheiro de chapa, vereador Desto (PMDB) se recusarem a compor a Mesa que iria organizar o processo da  eleição da Mesa Diretora.

Para deixar a emoção maior, a vereadora Hígia, aos aplausos e clamor da população presente na Câmara, pediu a todos os seus companheiros que se retirassem da plenária da CMT por não aceitar a forma que se deu o processo e construção da chapa única que disputou a Mesa Diretora.  Se retiraram também junto com Hígia, os vereadores Raimunda e Desto do PMDB e Márcio, do PROS.

Os vereadores Queimado (PMN), Dário Oliveira (PSB) e Jaqueline Neto (PSDC), foram eleitos para o biênio de 2017/2018 da Mesa diretora, sendo repectivamente presidente, vice-presidente e secretária. Foram 9 votos, sendo 8 na chapa única e 1 em branco.

Estivemos com a vereadora Hígia Frota, eleita com 1.306 votos, que nos concedeu em sua casa esse Espaço Aberto, uma ENTREVISTA EXCLUSIVA sobre o fato.

HIGIA 2

Vereadores Raimunda e Desto (PMDB) e Márcio (PROS)

ESPAÇO ABERTO: Vereadora Hígia, num momento histórico em Tailândia, onde se esperava traquilidade na posse dos vereadores, ao invés disso, a retirada de sua bancada gerou um ar de apoio e satisfação a sua postura, o que de fato aconteceu ali?

HÍGIA FROTA: Bom dia, Reinaldo. De fato fomos para a nossa posse decididos a dar um basta nesse negócio de utilizar a CMT para outros fins que não são os interesses dos moradores de Tailândia.

Para se ter uma ideia, a chapa única formada por alguns vereadores não representam a maioria dos eleitores de Tailândia que disseram não nas eleições de outubro:  27.801 votos nossos e dos outros candidatos a prefeito disseram não a Ney da Saúde.

Agora voltam ao poder. Queimado e Dário foram candidatos da chapa da situação na época e a vereadora Jaqueline participou da Secretaria de Saúde, do então prefeito Ney, até a sua desincompatibilização.

Dessa forma não há renovação. O que mais o povo queria era renovação. Tanto é que mandou para casa 70% dos antigos vereadores. Da legislatura passada só sobrou Queimado, o Dário e o Créu das Vans.

Por outro lado, nunca nos convidaram para uma reunião para discutir uma chapa única para representar o povo na Mesa Diretora. Achamos que nesse momento de incertezas de como ficará a Prefeitura de Tailândia, poderia ser construida uma chapa conciliatória e de transição, independente de quem seria o presidente da Câmara ou prefeito municipal, para não deixar a cidade parada. Mas isso não ocorreu. Preveleceu a disputa do poder e colocar para funcionar o trator para passar por cima do povo.

ESPAÇO ABERTO: Então a senhora acha que houve uma ação proposital para tirar o grupo do ex-prefeito Macarrão fora da divisão da CMT?

HÍGIA FROTA: Absolutamente, sim. O que aconteceu foi um golpe contra a vontade popular. Todos sabem que a chapa de Macarrão elegeu 3 vereadores, Desto, Raimunda e eu, e agora temos como grande aliado o vereador Márcio, uma pessoa nova na política, mas decidido a construir melhores dias para Tailândia.

Enfim, a política dos que só querem ver Tailândia mal foi quem ganhou na Mesa Diretora, somente pela ambição de ser prefeito e dominar tudo. Mas agora o povo está de olho.

ESPEÇO ABERTO: Estão dizendo nas redes socais que na verdade a senhora não teve a capacidade de saber lidar com a “derrota”, isso tem haver com a decisão de seu grupo de se retirar da Câmara?

HÍGIA FROTA: Olha Reinaldo, primeiro quero te dizer que o nosso Bloco na CMT vai dar orgulho aos nossos eleitores, pois para nós não existe recesso. Nessa semana mesmo já estaremos lá, trabalhando.

Que negócio é esse? Quando o trabalhador arruma um emprego nesses dias dificeis, ele não entre de férias no outro dia. Não entra, não!

Sobre essa questão que eu não tenho capacidade de conviver com as derrotas é conversa de quem tem preconceito porque sou mulher. Porque sou frágil, por ser mulher. Fui sim derrotada em 2012, por grande margem de votos para o Ney da Saúde, todos lembram. Mas dei a volta por cima e estou aqui agora. Pelas mãos do povo fui eleita a vereadora mais votada do município. Isso me orgulha.

Agora quem pensa que estamos desorganizados, podem pensar dessa forma. Mas, não estamos interessados no que eles pensam. Isso está superado. O que nós queremos é trabalhar para o povo. É isso que nos interessa.

ESPAÇO ABERTO: O vereador Queimado empossado prefeito municipal a senhora e os outros vereadores vão dar combatividade e oposição logo de entrada. Será que a retirada de vocês da sessão de posse não deixa dúvidas sobre a ação dos senhores com relação ao povo?

HÍGIA FROTA: Não. Isso não. Não estamos brincando de fazer política. Vamos acompanhar o andamento de todos os projetos sociais mantidos pela PMT, vamos fiscalizar a re-contratação dos servidores contratados para que se faça justiça e que isso não fucione como “cabide de emprego”, bem como o processo de contratação dos servidores concursados.

Vamos fiscalizar passo a passo dos investimentos do FUMDEB, o dinheiro da Saúde, o funcionamento do HGT. A saúde para nós terá total concentração, para que nem um tailandense deixe de ser atendido. Isso para nós é uma questão de honra. Quem for o gestor a partir de agora vai saber o que é ficalização. Vamos acompanhar cada ponto de projeção de gastos da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).  Sem falar de um levantamento dos projetos de lei que município precisa.

ESPAÇO ABERTO: Por fim, o que senhora pode afirmar para o povo de Tailândia?

HÍGIA FROTA: Meus amigos e minhas amigas, vamos estar agora verificando o que é importante para o povo. Nossa prática vai ser essa: democrática  e participativa, mas para isso queremos o seu apoio. Vamos precisar muito de voces, pois toda vez que a soberania do povo estiver sendo atacada nós vamos denunciar e chamar o povo, para que de forma democrática possamos discutir os interesses do nosso povo.

ESPAÇO ABERTO: Obrigado, vereadora.

HÍGIA FROTA: Eu é quem agradeço!

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||