Márcio Miranda pode ser uma mudança ética que o Pará precisa?

Publicado por Reinaldo Araujo em 14/07/2017 às 11h01

O Pará tem 5 milhões de eleitores e 2 milhões de miseráveis, que tal mudar isso?

MM1

O Brasil passa por um dos piores momentos da sua História Republicana, fundada em 15 de Novembro de 1889, na qual se acreditava seguir os rumos para a “liberdade, igualdade e fraternidade”, ao moldes da Revolução Francesa, discurso típico da burguesia que chegava ao poder com as mudanças econômicas, políticas e sociais do Mundo iluminado.

Após mais de 500 anos, os brasileiros agora terão uma nova chance de colocar a prova seu direito de eleitores e fazer uma limpeza necessária nos políticos corruptos de Brasília e mudar o futuro do País, que vive refém da demagogia, da corrupção e da falta de ética.

Nesse momento de angústia nacional, é imprescindível de que novas lideranças venham a surgir no cenário público nacional e estadual, demonstrando que não existem somente corruptos e corruptores na política do Brasil e no Pará, por isso o nome de Márcio Miranda, dos Democratas, pode apontar uma saída diferenciada no Estado às “alternativas”, que nunca foram alternativas.

Num momento em que é inaceitável a continuação do “ninho tucano” no Palácio dos Despachos, e do outro lado, se aventurar num projeto de família, que saí das entranhas do já desgastado e desmascarado covil peemedebista, os paraenses devem buscar um novo horizonte.

MM2

Quero acreditar num Pará melhor para todos nós...

Dessa forma, quero acreditar que o deputado estadual Márcio Miranda, atual presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Pará (Alepa), de 59 anos, nascido em Pavão (interior de Minas Gerais), e que foi reeleito em 2017 para o seu terceiro biênio consecutivo a frente do Poder Legislativo com os votos dos 32 deputados presentes, uma eleição sem precedentes na História da Alepa, possa unir as características de uma liderança estadual, diferente dos outros, que entregaram o Pará ao grande capital internacional, aos “grandes” do Agronegócio e grandes proprietários, sem pedir nada de volta para o povo, somente descaso, miséria e falta de políticas públicas de desenvolvimento do Estado

Como eleitor e paraense quero acreditar num Pará melhor para todos nós, com políticas de desenvolvimento agrário e urbano, saneamento básico, mais investimentos em Educação e Saúde.

Segundo os dados do Relatório de Exclusão Social no Estado do Pará, em 2014, de uma população de 7 milhões 990 mil, 2 milhões e 026 mil, ou 25,4% da população vivia abaixo da Linha da pobreza no Estado do Pará, contrastando com mais de 5 milhões de eleitores registrados na Justiça Eleitoral, entre 2008 e 2014, ou seja, elegemos os políticos mas não temos o retorno em políticas públicas de desenvolvimento na Amazônia paraense, somente miséria e má fama de violência nos conflitos agrários e urbanos e mais miséria. Acho que ta na hora de virar essa mesa. Para isso, convido você eleitor....

Comentários

Helena em 15/07/2017 08:19:03
Eu acredito e voto....
Pedro florencio baldez em 14/07/2017 22:16:36

O para em boas maos vamos mudar do jeito que esta nao pode ficar falta seguranca saude educacao nao podemos povo paraense eleger este corrupto. Do pmdb
ANTONIO JOSE GOMES DAS CHAGAS em 14/07/2017 21:16:29
Sem dúvida o nome do deputado Márcio Miranda não só inova o processo eletivo no Estado como, oferece um novo projeto de política pública.

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||