Pesquisa dá 2º Turno para Hélder e Miranda e não animam ninguém

Publicado por Reinaldo Araújo em 17/09/2018 às 19h52

Apesar do trabalho para vencer de 1º, no 2º Turno, não vai ter descanso para Hélder, que deve baixar a bola e tratar com humildade a política de alianças para vencer Márcio Miranda

M1

Vamos primeiro analisar os números das últimas duas pesquisas do Instituto Doxa divulgadas, respectivamente, em 07 de setembro e 17 de setembro.

No levantamento espontâneo, Hélder no dia 7 de setembro tinha 25,2%, hoje tem 26,7%, Márcio Miranda, estava com 13,5%, agora tem 17,8%, Paulo Rocha, tinha em 7 de setembro 4,8%, hoje tem 6,6%

DO

Na estimulada, Hélder em 07 de setembro tinha 39,2%, hoje passou para 38,9%, Márcio Miranda tinha 22,1%, agora passa a ter 23,6%, e Paulo Rocha que estava com 14,1% passa a ter 14,3%.

DO2

Os Brancos e Nulos no último levantamento espontâneo foi de 15,8% e os NS/SR 34%, ou seja, 52% ou metade do eleitorado ainda estão vendo o espetáculo sem tomar partido.

Pesquisa de intenções de voto não animam os eleitores indecisos

Mas o que vemos de verdade é uma estagnação da campanha de Márcio Miranda. Parece que a brincadeira é feita sem vontade e tudo que se faz na vida deve ser feita com tensão e é que se vê na campanha de Hélder.

Campanha na rua com o Povo, programa de televisão apresentando propostas, com conexão com o eleitor. A militância azul faz com mais ânimo a campanha

Márcio Miranda ainda deve agradecer que ainda não começaram a vincular diretamente o candidato do Democratas ao seu padrinho político, Simão Jatene, que “espoca” de popularidade para não dizer ao contrário.

Se por uma lado Hélder tem Temer para criar pesadelos em sonhos de poder, Márcio Miranda tem Jatene, que “espoca” de popularidade para não dizer o contrário...

São 20 anos de governos tucanos, e após esse longo período os índices sociais não melhoraram. O Pará tem um dos piores IDH do Brasil, a Educação e Ideb envergonham o Pará e a saúde, administrada pelas famosas Organizações Sociais (OS) pede socorro. Sem fala da política desenvolvimentista voltada para os ricos e donos de terras.

Outro problema do Governo Jatene é o abandono das políticas públicas nos municípios e o chavão “presente” de Hélder acaba pegando de cheio lá na angustia da população interiorana que só quer dias melhores nas cidade e no campo.

Aqui em Tailândia, quem é o candidato é o Povo e é ele quem decide

DO3

Para ter uma ideia, o município de Tailândia ficou a ver navios durante quase quatro anos. Como diz o próprio prefeito Macarrão ”(...) não se pode deixar a rodovia (PA-150) virar um aparelho de televisão, onde a gente vê o desenvolvimento passar para lá e para cá sem deixar nada para o nosso Povo, precisamos deixar disso.”, enfatiza o prefeito Macarrão.

O Povo  se sente ressentido pois nas eleições de 2014, Simão Jatene venceu nos dois turno em Tailândia e não trouxe nada para a cidade. O pouco que funciona do Estado ainda funciona mal, o caso do HGT.

No primeiro turno Jatene teve 18.774 votos contra 9.908 dos votos dos tailandenses. No 2º Turno ainda cresceu mais, Jatene (19.524) vence com a diferença de menos de 9 mil votos de Hélder (8.524 votos).

Jatene, nunca mais voltou, nem para agradecer.  

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||