Prefeito Interino de Tailândia pode ser candidato às eleições

Publicado por Reinaldo Araujo em 13/01/2017 às 11h13

Querem nos empurrar uma “Ideologia de Tailândia Unida”, onde quem denuncia as mazelas do município é contra o povo

QUEI 1

Vivemos o momento mais delicado da política de Tailândia. Com o indeferimento do registro do candidato mais votado nas eleições de outubro, o presidente da Câmara Municipal (CMT), vereador Queimado, tomou posse como Prefeito Interino, e deverá ficar na gestão até que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgue o recurso de Macarrão.

Tá bom, o vereador Queimado, prefeito interino realmente começou bem. Está fazendo a limpeza da cidade, já esteve em Belém em busca de “socorro” à Segurança Pública, iluminação e sinalização de trânsito. Palmas pra ele...

O que não deu para engolir é essa história do vereador Queimado, que diz “que não tem compromisso com nenhum grupo político” e ao mesmo tempo, com exceção da dona Iracema (Ação Social) e do Frank (que se tornou “super-secretário”), todos os secretários do Ney permanecem os mesmo, as mesmas caras. Mais parece um pesadelo, um sinal que o ano de 2016 não terminou ainda.

O povo de Tailândia precisa entender que o gestor interino não está fazendo nada mais que o seu serviço. Queimado é um servidor público, testado nas urnas, onde obteve 643 votos, muito menos que os 15.116 votos do candidato a prefeito mais votado.

Está fazendo o seu serviço. Nada mais comum que o vereador se sinta o “tal”. Porém, simplesmente faz a sua parte. E nós como tailandenses, queremos que a cidade ande para frente, temos que torcer que o atual gestor interino cumpra com a sua missão.

QUEI 2

Mães passam chuva e sol para matricular seus filhos. Cadê o dinheiro das creches?

Muitos “pepinos” ainda vão aparecer, e abacaxis para descascar, como o recente episódio das matrículas das creches. Nesse sentido, o prefeito interino deveria estar se perguntando: “onde foi à parte que eu perdi, como vereador, que deixei passar despercebida a previsão de construção de quatro creches no município?”. Isso na gestão passada do ex-prefeito Ney.

O vereador Queimado em nossas conversas, e eu quero dizer que não tenho nada contra ele pessoalmente, gente boa, mas como ele sempre me diz: “mano, não dá pra endeusar as pessoas”. E, eu concordo com ele.

Resumo da obra: na verdade é que os grupos que foram derrotados nas eleições de outubro, rezam, torcem e fazem até “serviço”, para que tenha 2º Turno em Tailândia. Ou seja, Novas Eleições.

Querem nos convencer que tudo está a mil maravilhas, mas é só olhar para o legado dos prefeitos Gilberto e Ney, que foi apoiado pelo próprio Queimado, para entrarmos na real. Será que era preciso andar atrás de segurança pública, iluminação, sinalização, se isso não tivesse sido providenciado antes?

Querem nos empurrar uma “Ideologia da Tailândia Unida”, onde quem denuncia os desvios do dinheiro público e as mazelas é contra o povo de Tailândia.

Queremos que o povo tenha vez e que não venham obras dessas pessoas que sempre usaram da prefeitura como seu quintal, se dizendo agora “homens do povo”, para querer só extorquir o voto das pessoas humildes.

Porém agora, Queimado é uma unanimidade só. Em menos de 20 dias já está sendo considerado “o insuperável”. Que “esse homem vai fazer em meses o que os outros não fizeram em 28 anos de emancipação”. Palmas para o Queimado...

É claro que o seu projeto político é ser candidato da “panelinha” a prefeitura, caso tenha novas eleições. Normal. Estou apostando pra ver...

Infelizmente projetos pessoais e de grupos sejam maiores do que a vontade do povo nas urnas e maior que o sentimento de uma cidade sem paliativos.

O que o povo quer de fato são políticas públicas de segurança, saúde, mais vagas nas escolas e creches, saneamento público, e o que mais interessa: EMPREGOS. Sem falseamento e nem mentiras. Esse povo sofrido não se engana mais. O povo vai saber dar a resposta na hora certa.

NOVAS ELEIÇÕES OU ELEIÇÕES SUPLEMENTARES?

Uma outra questão, que deve ser entendida pelos nossos leitores, que se o recurso de Macarrão for recusado pelo pleno do TSE, na verdade o que vai acontecer são novas eleições e não suplementares, como alguns tentam nos convencer.

As eleições suplementares só ocorrem nos casos em que a junta apuradora verifica que os votos das seções anuladas e daquelas cujos eleitores foram impedidos de votar poderão alterar a representação de qualquer partido ou a classificação de candidato eleito pelo princípio majoritário.

Elas estão previstas nos artigos. 187, 201 e 212 do Código Eleitoral e são caracterizadas pela renovação das eleições apenas em algumas seções eleitorais.

Assim, se fosse constatado a necessidade de nova votação, a junta apuradora comunicaria o fato ao respectivo tribunal regional, que, por sua vez, marcaria o dia para a renovação da votação nas seções indicadas.

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||