Tailândia: em seus 31 anos o melhor presente é o seu Povo

Publicado em 08/05/2019 às 08h41

Nos primórdios dos anos 70 o Estado do Pará crescia em ritmo acelerado. A Amazônia, por sua vez, vivia do pensamento desenfreado das construções desenvolvimentistas dos Governos Militares focadas no sul, sudeste e nordeste do Pará, onde aparentemente se via um processo tranquilo e planejado, mas, por outro lado, atrás do alambrado existia uma situação até mesmo fora de controle: o conflito pela terra.

31

Com a construção da PA-150, a cidade que deveria ser provisória, cresceu à margem da rodovia e virou permanente. Segundo dados do Projeto de Assentamento Dirigido (PAD), do Iterpa, em 1980, a colônia agrícola, em seu trabalho de assentamento “pacificador,” teve um nível de crescimento demográfico em quatro anos que “não condizia com a estrutura econômica, física e social que o espaço apresentava” (PRADO, 2006).

Nesse sentido, a colônia tinha apenas acesso pela PA-150, com uma estrada sem condições, falta de estradas vicinais para a pequena produção, o que inclusive propiciou o êxodo de muitos colonos para outras localidades, o que não é muito diferente dos dias de hoje.

31A

Assim, a História da fundação da cidade de Tailândia, no Estado do Pará se confunde com a história dos conflitos fundiários na região e com a política desenvolvimentista dos Governos Militares, pois foi na década de 70, a construção da estrada que hoje corta o Estado de norte a sul, que pretendia integrar a capital do Estado com o sul do Pará, região em ascensão econômica devido à construção da Hidrelétrica de Tucuruí, da Transamazônica, da Ferrovia Carajás, da mineração e do garimpo de ouro, na época.

Nesse período vieram muitos migrantes de outros Estados, principalmente, do Maranhão, Piauí, do sul e sudeste do Brasil, para trabalhar no que seria a futura PA-150, na Mesorregião Nordeste do Pará. Os então pioneiros e primeiros moradores, fazendeiros, madeireiros e grileiros viviam em pé de guerra, isso foi um dos principais motivos que contribuíram para a intervenção do Estado na região.

Com a intensificação da violência, o governador do Estado, Alacid da Silva Nunes, determinou ao Instituto de Terras do Pará (Iterpa) a intervenção na região. Em 03 de junho de 1978, com a chegada dos primeiros técnicos, a localidade sofreu a intervenção da PM, sob o comando do Tenente Clarindo Pinheiro, iniciando-se assim o cadastramento dos colonos e a administração do projeto de colonização, demarcação de terras devolutas e distribuição de lotes entre os quilômetros 51 e 183 da PA-150, numa área de 158.400 ha.

Curiosiosamente a escolha do nome da cidade se deu numa reunião, em julho de 1978, em que a denominação da localidade seria Tailândia, devido à comparação dos conflitos da cidade com os que ocorriam no país asiático Tailândia, durante o período da Guerra Fria. Naquela época a região que era situada a vila agrícola vivia um violento conflito agrário.

Mas Tailândia só teria a sua emancipação político-administrativa do município do Acará, em 10 de maio de 1988, através da lei estadual de nº 5.452/88, sancionada pelo governador Hélio da Mota Gueiros. Isso se deu depois de um plebiscito em abril e a primeira eleição municipal em 15 de novembro de 1988.

Outro episódio que foi decisivo para a mudanças na economia e no comportamento dos moradores foi a vinda da Operação Arco de Fogo em 19 de fevereiro de 2007. A Operação Arco de Fogo, decidida nas salas do Ministério do Meio Ambiente, com a então ministra Marina Silva, visava combater o desmatamento ilegal na Amazônia por meio de ações de segurança pública promovidas pelas Polícias Federal, Civil, Militar, Força Nacional e órgãos das três instâncias governamentais, sem ter a noção dos impactos sociais que acarretaria tal intervenção militar.

Tailândia, por sua vez, ao sul de Belém, capital do Pará, foi o primeiro município a ser fiscalizado porque era considerado um entreposto de madeira clandestina.

Antes do trabalho conjunto do Ibama, da Polícia Federal e da Força Nacional, o município serrava 35 mil metros cúbicos de madeira por mês. Hoje, Tailândia não serra mais de sete mil. Sem dúvida, Tailândia foi o principal alvo da Operação Arco de Fogo, feita pelo Governo Federal para combater o desmatamento ilegal, sendo uma cidade nova que cresceu rapidamente, na época, com cerca de 70 mil habitantes.

Dados da Economia do Município

PIB per capita [2016]

8.711,62 R$  

 

Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]

92 %  

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]

0,588  

Total de receitas realizadas [2017]

141.061,06 R$ (×1000)  

Total de despesas empenhadas [2017]

143.241,70 R$ (×1000)  

Dados: IBGE/2010-2017

Hoje Tailândia, com mais de 103 mil habitantes, é um município com vasto campo de desenvolvimento no setor rural, para o pequeno produtor, um comércio promissor e potencialmente pronto para instalação de indústrias.

Mas é isso aí. O futuro de Tailândia quem faz somos todos nós. Parabéns Tailândia pelos seus 31 anos de emancipação. Parabéns ao povo de Tailândia

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||