TAILÂNDIA PEDE PAZ

Publicado por Reinaldo Araujo em 14/11/2016 às 10h52

Manifestação Popular Pacífica pede Políticas de Segurança Pública no município

PAZ

A percepção da população é de que a violência só cresce mais e mais a cada dia em Tailândia. Uma pesquisa do Mapa da Violência 2015 divulgada nos meios de comunicação, pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais - Flacso, no entanto, veio mostrar que a situação é bem mais preocupante: entre 250 cidades consideradas as mais violentas do País, 23 são paraenses (vamos destacar abaixo somente as 10 mais violentas). Isto mesmo, quase 10% dos municípios mais violentos do País são de nosso Estado.

A capital Belém (148º) também está na lista, à frente de cidades como as vizinhas Manaus-AM (151º) e São Luís-MA (165º).

Ainda nesse triste ranking, desponta a nossa querida Tailândia, que no cenário Nacional é o 56º município mais violento do Brasil, e, em nível Estadual se encontra na posição mais uma vez de 3º lugar.

Veja a lista das 10 cidades paraenses no ranking da violência:

RANKING NACIONAL

RANKING ESTADUAL

MUNICÍPIO

Ananindeua

42º

Novo Progresso

56º

Tailândia

66º

Castanhal

73º

Rondon do Pará

95º

Tucumã

109º

Redenção

118º

São Domingos do Araguaia

126º

Pacajá

135º

10º

Goianésia do Pará

(Fonte:DOL, com informações do portal Exame)

Violência contra a Mulher

De acordo com o mesmo Mapa da Violência, com relação aos índices de homicídio praticados contra a mulher. o município de Tailândia, nordeste do Estado, encontra-se no ranking do País como o 25º município onde mais acontecem mortes de mulheres por violência doméstica, ou seja, 14,6, por cada 100 mulheres. Se não fosse tão sombrio e desesperador, seria vergonhoso para a nossa cidade.

PAZ 2

E, esses dados poderiam ser piores se tivéssemos registros de uma Delegacia da Mulher, o que não temos.

Ainda que o Brasil possua duas leis importantes para coibir o a criminalidade contra a mulher, a Lei 11.340/2006, a Maria da Penha, e a Lei 13.104/2015, do Feminicídio, parece que muitas lágrimas ainda escorrerão dos rostos de muitas mulheres e suas famílias.

Políticas de Segurança Pública: Plano Municipal de Segurança Participativo

Mas somente leis não resolverão o problema. Enquanto o Poder Público Municipal se eximir da sua obrigação de gerar, apoiar e investir em segurança publica dos munícipes, a onda de roubos, assaltos e assassinatos ao cidadão comum continuará.

É preciso investir em tecnologia, com monitoramento de câmeras, inteligência, dando reais condições para que a Delegacia Municipal faça os registros de Boletins de Ocorrências (B.O.); dar todo apoio ao Comando Independente da PM para executar as ações de segurança, e que de fato exista um Conselho Municipal de Segurança atuante e construir o Plano Municipal de Segurança participativo e transparente..

É preciso sentar com o Governador, mas não de forma subalterna, mas sim exigir as suas obrigações constitucionais para com a segurança dos moradores do interior do Estado.

Também não adiantará nada, toda vez que os índices de violência aumentarem façamos uma Manifestação Pública para dizer a Justiça o que realmente ela deveria fazer, pelos caros salários que são muitos bem pagos pelos cidadãos, para ela promover a lei.

Somente essa manifestação não resolverá os problemas de segurança de Tailândia mais será um grande passo para mostrar que o povo não é tão frágil assim.

Todos a Manifestação Contra a Violência

Dia 17 de novembro - Quinta-Feira - Saída da Vila Macarrão – às 16 horas

Enviar comentário

voltar para Home

left show fwB tsN b01s bsd|left tsN fwB|left show fwB tsN|bnull|||news login uppercase c05 b01 bsd|fsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news fwR uppercase b01 c05 bsd|tsN fwR uppercase b01 c05 bsd|fwR c05 uppercase|content-inner||